Senepol, uma história que atiça o paladar

Notícias

Publicado em: 5 de outubro de 2016
Senepol, uma história que atiça o paladar

dsc_0585

Aos apreciadores de carnes nobres, não há como resistir ao delicioso aroma exalado quando submetidas a temperaturas elevadas. Seja durante um churrasco ou qualquer outra ocasião, este nobre alimento tem o poder de reunir as famílias para momentos prazerosos e descontraídos, mesmo em um mundo cada vez mais globalizado e individualista. Magia possível graças à paixão dos produtores que imprimem à carne bovina um sabor transcendente.

A carne brasileira é a mais saudável do mundo. É rica em Ômega 3 porque o animal é criado em seu habitat natural, nas pastagens, onde ele se sente livre, o que colabora para seu bem-estar. E muitas vezes temos algumas surpresas. Nesta alucinante alquimia entre raças vividas pela pecuária brasileira, a carne oriunda do Senepol intriga os mais exigentes paladares. Atende a todos os gostos! Para quem deseja carne mais magra, o Senepol produz carne com menos gordura e incrivelmente macia. Aos mais exigentes, entrega sabor, marmoreio e capa de gordura na medida certa.

Como isso é possível?

O Senepol nasceu no Caribe, há 60 anos, da fusão de duas outras raças, a N’Dama, originária da África e capaz de sobreviver em ambientes hostis, semelhante ao nosso Nelore, e a inglesa Red Poll, produtora de cortes com maior percentual de gordura e qualidade de carne.

Chegou ao Brasil em novembro de 2.000, após a Família Arantes, que tem tradição de quase meio século na criação de gado, comprovar essa qualidade na prática. Os primeiros exemplares chegaram dos Estados Unidos em um jato comercial DC-8, após inúmeros percalços. Foram garimpados nas melhores fazendas norte-americanas e precisou-se criar um protocolo sanitário firmado entre os dois países para que pudessem desembarcar no Brasil.

Até a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC) foi mobilizada, de forma que o jato aterrissasse em Rondônia ou invés de Viracopos (SP), como mandava a legislação. Tudo porque havia o risco de morte dos animais durante a jornada. Os norte-americanos duvidaram e vieram conferir in loco o nascimento de 2.000 animais gerados por fertilização in vitro, tecnologia comum atualmente, mas pouco conhecida na época. A chegada dos animais foi um dos fatos mais comemorados naquele ano, saga que rendeu até mesmo um livro: Senepol, Perfeito para o Brasil, assinado pelo jornalista Daniel de Paula.

Hoje, o Senepol está presente em mais de 18 estados brasileiros, favorecendo a produção de animais jovens e com uma carne tenra e suculenta. Nesses 16 anos, o rebanho evoluiu de tal maneira que são comuns linhagens com aptidão para marmoreio, a aquela gordura entremeada que ressalta o sabor e a maciez.

Em respeito ao sacrifício necessário à sobrevivência humana, o animal é aproveitado em sua totalidade. Dele é possível extrair cortes magníficos, como T-Bone, Ojo de Beef, o Porterhouse, Beef de Ancho, entre outros. Com amparo de modernas tecnologias, entre elas a ultrassonografia de carcaça, descobriu-se no Senepol um percentual de marmoreio semelhante e até superior ao do Angus, já consagrado pelo mundo.  O Senepol é uma nova opção a ser explorada no universo gourmet, com a vantagem de os animais serem manejados 100% a pasto. São rústicos, suportam o calor e cumprem perfeitamente a função de provedores do material genético que está revolucionando a pecuária nacional.

Características – Essa extraordinária raça taurina adaptada ao clima tropical é considerada de baixo custo de manutenção, tem temperamento dócil e suas progênies (filhos) ganham muito peso a pasto, sem regalias. Os bezerros meio-sangue Senepol alcançam valorização de até 40% quando comparados ao zebuíno puro, espécie predominante na pecuária nacional. São abatidos ainda jovens, precocidade que favorece as caraterísticas sensoriais de sua carne. Pesam, em média, 20@ aos 20 meses de vida e se desenvolvem rapidamente. Ao final do ciclo, apresentam cobertura de gordura subcutânea de até 9 cm.

Os machos caminham grandes extensões para servir a vacada a campo, como preferem mais de 90% dos pecuaristas. Já as fêmeas são ótimas mães, produzindo o leite necessário ao desmame de bezerros entre 240 e 300 quilos.  Mensurações de carcaça apontam medidas de até 102, 7 cm² de Área de Olho de Lombo, quando o mínimo aceitável à classificação de excelência do produto é de 75 cm². Possuem estatura mediana, pelagem curta e avermelhada, caraterísticas que predominam no cruzamento com as demais raças de corte. A longevidade também é um diferencial importante. Há relatos de animais Senepol com mais quinze anos em plena atividade.

Marmoreio – A gordura entremeada na carne é o grande segredo das melhores parrilas no mundo inteiro. Quando derrete, exala aquele aroma que dá água na boca. Em raças taurinas já consagradas para marmoreio, como o já mencionado Angus, o indicador mínimo aceitável é 3,5%. Em uma prova executada pela Família Arantes constatou-se a impressionante média de 4,45% no Senepol, com índices superiores em muitos casos. Ao contrário do taurino de origem escocesa (Angus), que exige tratos especiais, principalmente em relação ao manejo nutricional, o Senepol desenvolvido no Caribe é criado a pasto, sem artificialismos. Sua carne também apresenta uma qualidade impecável e está à altura dos grandes chefes.

Oportunidades – O Senepol chega como a mais nova opção gastronômica aos mercados de maior valor agregado. É capaz de oferecer uma infinidade de cortes, atendendo de donas de casa mais sofisticadas aos frequentadores dos melhores restaurantes e churrascarias.  Além da profusão de sabor possível se atingir, este “boi de capim” beneficia a rentabilidade do pecuarista e colabora para uma pecuária moderna e ainda mais sustentável. Certamente, ao ingressar em programas de certificação de qualidade, será comum encontrar a carne do Senepol nos principais endereços, inclusive, em boutiques especializadas em carnes “prime”.

Fonte: PecPress

Compartilhar

Email Facebook Google LinkedIn Pinterest Twitter Print