Senepol apresenta a rusticidade que o Pantanal exige

Notícias

Publicado em: 16 de outubro de 2017
Senepol apresenta a rusticidade que o Pantanal exige

_MG_2479

A pecuária praticada na região do Pantanal alterna momentos de seca e de cheia, com temperaturas elevadas em grande parte do ano. Para manter uma boa produtividade do rebanho nesse tipo de clima, a rusticidade é uma característica importante. Para o criador Marcos Bindillatti, esse foi um dos diferenciais que fez com que a família apostasse na raça para produção de animais meio-sangue em pleno Pantanal sul-mato-grossense. Com um rebanho comercial de 12 mil cabeças, sendo 5 mil de meio-sangue Senepol X Nelore, ele faz a fase de cria e recria em duas propriedades, localizadas nos municípios de Coxim e Corumbá. Para produção dos animais cruzados, ele utiliza 202 touros Senepol de seu criatório, o MARP Senepol, que cobrem a campo a vacada Nelore. “Os resultados do meio-sangue são bastante expressivos. Conseguimos reduzir de quatro a seis meses o tempo de abate em comparação aos animais Nelore, que também fazemos a engorda. Além disso, recebemos premiação do frigorífico pela cobertura de gordura dos meio-sangue.”, destaca Bindillatti.

Nas propriedades, todo o manejo acontece a pasto, até mesmo na fase de engorda. Os machos são abatidos com 20 arrobas, entre 28 e 32 meses, e as novilhas com 14 arrobas, de 26 a 30 meses. A parte de engorda é realizada na propriedade localizada em Paraíso das Águas.

A família Bindillatti seleciona Senepol desde 2001, quando adquiriu animais importados pela Nova Vida. O rebanho puro está concentrado em Paraíso das Águas. O criador Marco Antônio Bindillatti, pai de Marcos, é o associado número 5 da ABCB Senepol. A decisão de investir na raça veio após assistir uma reportagem sobre a nova raça que chegava ao Brasil no início dos anos 2000. Os primeiros resultados foram bons e em 2004 decidiram utilizar a raça em cruzamentos. Segundo o criador, o Senepol conseguiu imprimir mais peso, mais carcaça ao Nelore e também deixou o gado mais dócil.

O criatório participa do programa de melhoramento genético Geneplus/Embrapa e utiliza técnicas de reprodução, como inseminação artificial e transferência de embriões, para multiplicar o rebanho puro, que é registrado pela ABCB Senepol. Segundo Marcos, na região do Pantanal os bezerros cruzados Senepol estão sendo valorizados acima do mercado de corte tradicional.

Fonte: Revista Senepol

Compartilhar

Email Facebook Google LinkedIn Pinterest Twitter Print