Novo teste de tolerância ao calor.

Notícias

Publicado em: 20 de novembro de 2011
Novo teste de tolerância ao calor.

* Fonte: Engormix (clique e veja estudo completo)
* Autores: Andrea R. B. Ribeiro, Maurício M. de Alencar, Luciana C. de A. Regitano, Márcia C. de S. Oliveira, Adriana M. G. Ibelli, Juliana R. T. de Souza, Ana Luiza Paçó, Audrey C. L. Ramos, Margarete M. Miyajima, Patrícia Calabria, Vinícius Chimenez
* Imagens ilustrativas: Banco de Imagens Senepol Água Limpa

Resumo: a cadeia produtiva pecuária brasileira tem vivenciado aumento na introdução de raças taurinas (adaptadas e não adaptadas) e no uso de cruzamento industrial, todavia, pouco se sabe sobre a adaptabilidade desses grupos genéticos e dos produtos de seus cruzamentos às condições brasileiras.


Senepol x Nelore

Assim sendo, o objetivo neste estudo é avaliar as respostas fisiológicas relacionadas à adaptabilidade de bovinos Nelore (NE) e cruzados Angus x Nelore (TA) e Senepol x Nelore (SN) submetidos a um teste de tolerância ao calor. O estudo foi executado na Embrapa Pecuária Sudeste, em São Carlos, SP, utilizando 15 fêmeas de cada grupo genético, com aproximadamente 14 meses de idade.


Senepol x Nelore

Os animais foram avaliados em dias quentes de verão, sendo realizadas medidas de temperatura retal, de freqüência respiratória e de taxa de sudação. Nos dias do teste, a média do índice de temperatura e umidade (ITU), às 13 horas, foi de 78,9. Os animais cruzados Angus x Nelore apresentaram maior freqüência respiratória que os animais dos outros grupos genéticos e alta taxa de sudação, não diferindo do grupo Nelore.


Senepol x Nelore

Os animais do grupo Senepol x Nelore apresentaram valores de taxa de sudação inferiores ao dos outros dois grupos (P<0,05). Esses resultados mostram que os animais Senepol x Nelore foram mais eficientes para manter a homeostase corporal, apresentando menores valores de freqüência respiratória e de taxa de sudação. Todavia os três grupos genéticos apresentaram valores semelhantes de temperatura corporal no teste de tolerância ao calor.


Conclusão: Apesar da temperatura retal não ter sido influenciada pelo grupo genético, os resultados sugerem que os mecanismos de termólise evaporativa foram menos ativados pelos animais do grupo Senepol x Nelore, uma vez que estes apresentaram menores valores de freqüência respiratória e de taxa de sudação.


Senepol x Nelore

Compartilhar

Email Facebook Google LinkedIn Pinterest Twitter Print