Genômica está entre as inovações que prometem revolucionar a raça Senepol

Notícias

Publicado em: 4 de maio de 2018
Genômica está entre as inovações que prometem revolucionar a raça Senepol

5a96a42d-accb-42f1-bce2-e2b981343363

Com a presença de pecuaristas de vários países, o Circuito de Palestras Técnicas da Mostra “Senepol na Terra do Zebu” apresentou essa e outras tecnologias do setor

Com o mercado pecuário aquecido, os pecuaristas estão em busca de tecnologias que possam elevar a produtividade do rebanho. A genômica está entre as inovações que prometem revolucionar o melhoramento genético bovino. Quem passou pelo Circuito de Palestras Técnicas da Mostra “Senepol na Terra do Zebu”, ocorrido nesta quinta-feira (03/05), acompanhou os resultados de pesquisas sobre o genoma da raça Senepol. O evento aconteceu na sede da Central Uberaba, na cidade de Uberaba/MG, e contou com a presença de mais de 250 pessoas, incluindo estrangeiros de vários países da América Latina.

Pesquisas com o sequenciamento do genoma bovino identificaram que o gene Slick (maior capacidade de tolerar altas temperaturas ambientais sem redução da produtividade) está presente na raça Senepol. “Essa é uma característica de grande relevância econômica para a pecuária tropical, pois animais Slick conseguem produzir mais. Um levantamento apontou que fêmeas com essa característica produzem 750 kg de leite a mais por lactação. Além disso, não têm estresse na lactação e entram no cio mais rápido”, assegura o pesquisador norte-americano do Departamento Americano de Agricultura – USDA, Tad Sonstegard, que ministrou palestra durante a Mostra de Senepol. A pesquisa para identificar a variante genética que faz com que um bovino tenha alta capacidade para tolerar o calor foi feita com várias raças bovinas existentes no mundo.  Segundo o professor da UNESP Jaboticabal, José Fernando Garcia, o Senepol mostrou ser um grande transmissor dessa característica para seus descendentes. “O Slick também está sendo incorporado aos rebanhos leiteiros. Já existem pesquisas nos Estados Unidos para incorporar esse gene à raça Holandesa”, informa Garcia, que ministrou palestra sobre o uso da genômica na seleção de Senepol no Brasil. Três mil e quinhentas amostras de animais da raça estão sendo genotipadas e os dados serão utilizados pelo Programa de Melhoramento Genético da Raça Senepol (PMGG). O superintendente Técnico da Associação Brasileira dos Criadores de Bovinos Senepol (ABCB Senepol), Celso Menezes, que apresentou ao público as vantagens da raça para a pecuária de corte, reforçou que a produção de animais de genética superior é fundamental para o avanço do setor. “O maior concorrente de qualquer raça bovina de corte no Brasil é o boi de boiada (animal sem qualquer comprovação de ser geneticamente superior)”, assegura. Para o médico-veterinário Carlos Matheus de Souza, que acompanhou todo o Circuito de Palestras, o que mais chama a atenção é o fato de a raça ser precoce e com excelentes resultados em cruzamento industrial. “A pecuária brasileira é, em sua maior parte, realizada de forma extensiva, ou seja, o touro precisa andar grandes extensões para cobrir a vacada. Como o Senepol é rústico, consegue cumprir esse papel muito bem”, acredita Souza. Segundo o pecuarista Marco Túlio Braga Pereira, existe uma grande demanda por touros Senepol por parte dos produtores que trabalham com cruzamento industrial. “A precocidade e a fertilidade são dois pontos fortes do Senepol, que consegue atingir o peso de abate bem mais rápido do que outras raças, com bom ganho de peso, e apresenta maior índice de nascimento”, destaca Pereira. O pecuarista do Panamá Apolonio Herrera, que está no Brasil em busca de tecnologias que possam melhorar a qualidade de seu rebanho, ficou impressionado com os animais Senepol expostos na Mostra. “A genética selecionada no Brasil contribuirá muito para a evolução do rebanho panamenho. São animais com porte e aprumos ideais para o tipo de pecuária que desenvolvemos por lá”, diz Herrera, que utiliza a raça Senepol em cruzamento com zebu há cinco anos e pretende importar a genética dos touros brasileiros. Como o Panamá tem clima de altas temperaturas, o pecuarista acredita que o Senepol é a melhor opção para a produção de carne a baixo custo, especialmente em pequenas e médias propriedades locais. O diretor da Hangar Projetos Estratégicos, Jorge Dias, confirmou essa grande demanda pela genética brasileira, mas destacou que o mercado internacional exige garantia de procedência.“As raças que contam com um programa de melhoramento oficial têm mais chances de ter sucesso no exterior. O Senepol terá um selo de certificação para todo o processo de produção, desde a fazenda produtora de genética até a ponta final, que é a carne Senepol”, assegura Dias, que abordou esse tema durante sua palestra no Circuito do Senepol. O evento ainda teve palestra sobre reprodução, ministrada pelo médico-veterinário Athos de Assunção Pastore. “O exame andrológico é uma ferramenta muito importante para atestar a qualidade reprodutiva do reprodutor.Não é recomendado adquirir touros sem exame andrológico recente, pois o investimento pode se tornar um grande prejuízo”, diz Athos. Após as palestras, os visitantes conheceram os animais Senepol participantes da Mostra, que vai até o dia 5 de maio. O evento é promovido pela ABCB Senepol em parceria com a Central Uberaba.

Compartilhar

Email Facebook Google LinkedIn Pinterest Twitter Print