Central de FIV especializada em Senepol começa a atuar no mercado

Notícias

Publicado em: 24 de abril de 2017
Central de FIV especializada em Senepol começa a atuar no mercado

Com um número crescente a cada ano de FIVs (Fertilização in Vitro), a raça Senepol é o foco de atuação da Central Senepol, empresa especializada na produção de embriões da raça e referência internacional nestas técnicas de reprodução animal. A central tem capacidade para abrigar até 40 doadoras e está localizada em uma área arrendada da Fazenda Experimental da Universidade de Marília (Unimar).

A equipe do Central Senepol é oriunda da Agropecuária Senepol Nova Vida, a primeira a contar com um laboratório próprio para fertilização in vitro.

Farmacêutica bioquímica à frente da Central Senepol, Zucoloto detalhou o processo criterioso de fabricação dos produtos e contou um pouco de sua experiência profissional. Um dado chamou a atenção: todos os animais produzidos pela Nova Vida, entre 2002 e 2015, passaram pelas mãos dela. Um total de 54 mil embriões da raça Senepol, segundo a especialista.

Zucoloto lembrou que o Brasil é o maior produtor de embriões do mundo, embora não invista tanto em tecnologia, quanto Estados Unidos e Austrália.

Favaro revelou que as primeiras 20 doadoras chegam ao local neste mês de abril e as demais no mês de maio. “Nosso objetivo é fazer o trabalho completo assim que a doadora chegar até aqui, aspiração, produção de embrião, transferência, sexagem e até montar um catálogo desses clientes para venda de embrião tanto a fresco, como congelado. Isso com todo o cuidado de manejo, nutrição diferenciada para continuar o trabalho iniciado no laboratório”, diz.

A Central Senepol ainda tem como sócios Wanderley Zucoloto e Aluisio Favaro e obteve licença do Ministério da Agricultura (Mapa) para começar a produzir no último mês de fevereiro.

Sobre a FIV – A Fertilização in Vitro é a produção em laboratório de um embrião. O procedimento é composto de algumas etapas, como a obtenção dos “óocitos”, que são os gametas femininos. A técnica mais utilizada para obter estes gametas é a aspiração folicular guiada por ultrassonografia. O material colhido deve entrar em processo de maturação para que seja fertilizado. Depois, postos em uma placa, o sêmen e os oócitos entrarão em contato e ocorrerá a fertilização.

Depois de fertilizados, os gametas femininos são levados para um terceiro meio chamado de “cultivo embrionário” e se desenvolverão até que estejam aptos para serem transferidos para as receptoras de embriões ou então, são congelados. A FIV, que também pode ser chamada de produção in vitro de embriões (PIVE), precisa de oito dias em média para completar o processo.

Compartilhar

Email Facebook Google LinkedIn Pinterest Twitter Print