Pela primeira vez no Brasil, prova de desempenho traz dados genômicos da raça Senepol

Considerada um dos maiores avanços para o melhoramento genético bovino, a genômica começa a ser aplicada no Senepol. Pela primeira vez, uma prova zootécnica chancelada pelo PMGS (Programa de Melhoramento Genético Senepol) traz em seu resultado final os dados genômicos dos animais avaliados. A edição 2017-1 do Programa de Avaliação e Qualificação de Doadoras Senepol – Safiras, cujos resultados foram anunciados no dia 13 de outubro, em Lins/SP, trouxe informações genômicas de duas características de relevância econômica para a raça: SLICK (capacidade que um bovino possui de tolerar altas temperaturas do ambiente) e Dupla Musculatura.

Durante a abertura do evento, o presidente da Associação Brasileira de Criadores de Bovinos Senepol (ABCB Senepol), Pedro Crosara Gustin, destacou que é extremamente necessário o uso adequado e responsável desta nova tecnologia genômica, de forma a se tornar realmente útil ao melhoramento genético da raça no Brasil e aplicável no curral pelo criador.

“Outras provas de avaliação de desempenho chanceladas pela entidade também utilizarão a genômica em breve. Está sendo feito o mapeamento do genoma de uma população de 2.500 animais, cujas amostras foram coletadas pela Embrapa Gado de Corte nos últimos quatro anos. Desta forma, também poderemos  fazer o mapeamento da verdadeira composição racial do perfil do Senepol produzido no Brasil”, diz Crosara.Todos os 263 animais da prova Safiras tiveram o DNA analisado através da ferramenta genômica SNP chip, tendo sido inicialmente determinados  os genótipos de cada indivíduo para as características SLICK e Dupla Musculatura. No caso do gene SLICK, a maior parte dos animais analisados apresentou genótipo SS, ou seja, com as duas cópias da alteração positiva no gene SLICK.

De maneira geral, o grupo de animais da prova apresentou 80,9 % de frequência do alelo S (positivo) e 19,1 % do alelo s (normal). “No caso da raça Senepol, o gene SLICK pode possuir uma pequena alteração que determina maior capacidade de tolerar altas temperaturas ambientais sem redução da produtividade. Essa pequena marca é uma das razões do grande sucesso que a raça Senepol obteve ao longo de quase cem anos desde a sua formação. Portanto, é desejado que os animais possuam em seu DNA as duas cópias do gene SLICK contendo essa pequena alteração, de tal forma que sejam muito resistentes ao calor e transmitam essa característica a 100% dos seus descendentes”, esclarece o professor da UNESP e membro do Conselho Deliberativo Técnico (CDT) da raça Senepol, José Fernando Garcia, que ministrou palestra sobre genômica durante a reunião final do Safiras.Em relação à dupla musculatura, a análise constatou que, de maneira geral, os animais  apresentaram 90,5% de frequência do alelo DM (normal – não mutado) e apenas 9,5% do alelo DM (mutado). Segundo Júnior Fernandes, é esperado que os animais não possuam em seu DNA qualquer cópia do gene DM mutado.

O gene da Dupla Musculatura é responsável pelo desenvolvimento anormal da massa muscular nos animais por conta da produção de um fator de crescimento de forma incorreta durante a fase embrionária da vida do animal. Sua ocorrência leva ao aparecimento de problemas de manejo devido ao aumento da chance de ocorrência de dificuldades de parto e diminuição no teor de gordura na carne de animais com essa característica.

Novidades- O resultado da prova Safiras foi acompanhado por 120 pessoas presentes ao evento, representando 48 criatórios de seis estados e do Distrito Federal, além de representantes de marcas dos Estados Unidos e da Venezuela. A apresentação geral do resultado foi feita pelo pesquisador da Embrapa Gado de Corte, Gilberto Menezes. Outras palestras do dia foram sobre genômica (ministrada pelo professor da UNESP, José Fernando Garcia), ultrassonografia (pela diretora da DGT Brasil, Liliane Suguisawa), consumo de água (ministrada pelo pesquisador da Embrapa, Rodrigo Gomes) e eficiência alimentar (do representante da Intergados, Marcelo Neves Ribas).

Júnior Fernandes, idealizador do Safiras, destacou outras novidades tecnológicas desta edição. A primeira foi a formação de um ranking denominado Safiras Sire, que colocou os dados de mais de 1.700 touros com, ao menos, 15 filhas avaliadas no programa, revelando os pais que mais fizeram resultados desejados na história do Safiras desde o início  da prova, em 2009. Foram priorizados na planilha dos pais índices de escore do trato reprodutivo, população folicular e marmoreio.

Outras novidades foram a avaliação do estresse térmico por uma central meteorológica instalada na estrutura do Safiras e a medição de temperamento pelo sistema Fly Speed, que apura eletronicamente a velocidade de reação de cada animal na saída do brete.

A próxima edição do Safiras 2017.2 está com inscrições abertas pelo link http://senepoldagrama.com.br/safiras/procedimento. Podem participar fêmeas nascidas de 01/05/2016 a 31/10/2016. A chegada dos animais será a partir de 31/10/2017. A edição 2017.2 terminará em 07/03/2018.

 

***fotos Grama Senepol

Informações para a Imprensa | Grupo Publique
(11) 9.9382.1999 – assessoria@publique.com – com Priscila Pontes
(11) 9.8839.1991 – renato@publique.com – com Renato Ponzio
(11) 9.9105.2030 – carlos@publique.com – com Carlão da Publique

Esta entrada foi publicada em Destaques. Adicione o link permanente aos seus favoritos.

Os comentários estão encerrados.